27
Mai 04
 

Camilo Pessanha nasceu em Coimbra, em 1867. Datam de 1885 os seus primeiros poemas conhecidos. Em 1894, parte para Macau para ensinar Filosofia no Liceu, tendo oportunidade de conhecer e de conviver com Wenceslau de Moraes. Em 1920, é publicada a sua obra mais conhecida, a Clepsydra. Morreu em 1926.


Relativamente à poesia de Camilo Pessanha, levanta-se uma questão interessante que é a de saber até que ponto a poesia chinesa terá influenciado a sua escrita. A este propósito, Esther de Lemos (A «Clépsidra» de Camilo Pessanha, p.170) afirma que a poesia chinesa terá reforçado «nele uma tendência para certa desarticulação sintáctica, uma coordenação assindética, a utilização de frases elípticas, ambiguidade provocada pela colocação das palavras e ambiguidade na morfologia destas». Por outro lado, José Augusto Seabra refere que «A minúcia do trabalho poético da língua – do fonema à sílaba, ao morfema, ao lexema, ao sintagma – muito deve entretanto, em Camilo Pessanha, à sua incorporação da experiência da tradução da poesia chinesa» (José Augusto Seabra, «Macau, o Oriente e a poesia portuguesa», p.64).



Citações extraídas de Manuela Delgado Leão Ramos, António Feijó e Camilo Pessanha no panorama do Orientalismo português, Lisboa, Fundação Oriente, 2001.



Trecho do poema de Camilo Pessanha, intitulado «Branco e vermelho»



«(…) A cada golpe tremem


Os que de medo tremem,


E as pálpebras me tremem


Quando o açoite vibra.


Estala! e apenas gemem,


Palidamente gemem,


A cada golpe gemem,


Que os desequilibra. Sob o açoite caem,


A cada golpe caem,


Erguem-se logo. Caem,


Soergue-os o terror...


Até que enfim desmaiem,


Por uma vez desmaiem!


Ei-los que enfim se esvaem,


Vencida, enfim, a dor.


E ali fiquem serenos, de costas e serenos.


Beije-os a luz, serenos,


Nas amplas frontes calmas.


Ó ceus claros e amenos,


Doces jardins amenos,


Onde se sofre menos,


Onde dormem as almas! (...)».


 

publicado por Francisco Caramelo às 10:41

Maio 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14

19
20

23
24
26

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO